sábado, 27 de junho de 2009 Start II - Ponto de Partida

bom, essa sim é a 2° parte do 1° Capítulo de " Do Começo ao Começo , porque aquela lá ficou ruim de mais.

leia ouvindo =)

Eu nunca escondi, nem fiz questão de esconder de todos o quanto sou carente. E do quanto sou frágil em relação a sentimentos. Pois bem, e sendo assim fui feliz e quebrei a cara várias vezes. Por diversas delas quis que tudo acabasse sabendo que o culpado de toda a minha dor era eu. Até que um dia tudo mudou. Eu descobri que tinha uma maneira de acabar com toda a minha agonia de um modo único e fácil, sem dor e sem precisar de ninguém. Me tranquei no meu quarto, o Alsil's World (é como eu o chamo) e fiquei pensando. Peguei um papel, uma caneta e comecei. Nascia ali um novo mestre da literatura ? Um dia alguém se indagará a isso, não cabe a mim dizer sobre mim mesmo agora. Pois nesse, foi no dia em que assaltaram a minha casa, que estava sozinho com a minha mãe. O dia em que tive a melhor ideia de todas, escrever uma biografia. Então vamos lá ? Como se inicia isso ? Como faz ? Não sei, mas vou tentar.

Vamos começar falando das pessoas importantes para mim. Já que comecei falando do dia que a minha casa foi assaltada, em Março de 2007, vamos falar de um ser que eu conheci nesse dia. O nome dele é Charles, e eu nunca o vi, mas o considero irmão mais velho que eu nunca tive. O cara me ensinou várias coisas, uma delas a escrever melhor. Talvez ? Pois bem, e falando em pessoas que nos ensinam, vamos falar de pessoas que nos mudam também. Cansei de ouvir que você não muda ninguém e discordo disso em altos graus, quem quer mudar muda. Quem não quer ???

Eu já mudei várias vezes, por mim e por outras pessoas. Já fui rude, sensível. Disse que odiava e amava. Fiz planos para mim e para os outros e aprendi que não posso dominar a vida de ninguém. As pessoas por mais que sejam importantes para você, não são suas por completo. São únicas, passam na sua vida, deixam marcas e vão embora. Eu sou um, que já foi marcado por várias, várias pessoas que eu nomeio com um nome estranho e característico. A que mais me marcou eu chamo de vírus. Se instalou em mim e não sai ! Depois do vírus, veio a era dos palhaços (aquelas que me fazer rir, sempre). Sem contar os atores, os músicos, os dançarinos e os artistas que compõe a essência do meu ser hoje. Alguns vão, outros apenas somem por algum tempo, como o anjo que eu não vejo a algum tempo. É, você deve estar dizendo : esse cara é meio maluco fica nomeando a pessoas da sua vida. Pois bem se não posso dizer o nome, nomeio de uma maneira que só eu sei. Alguns eu não consigo nomear, mas isso não significa que não sejam menos importantes. Cada pessoa que passa na sua vida não passa sozinha. Passa ela e uma marca, e é isso que fica. Uns passaram e ainda estão nela. Outros já foram, não são mais tão importantes para mim, mas todos marcaram a minha vida, e todos esses estarão nesse livro.

E por mais que eu disse que amava, odiava. Que queria esquecer eu não consigo. É como se fossem parte de mim. Vírus, anjos, artistas. Todos são partes de mim, e me lembram algo, ou seja, serão essenciais, pois tenho muito o que falar, o que contar e o que lembrar daqui por diante.

ao som de : titãs - os cegos do castelo

4 outras vozes:

Breno Bastos disse...

Sugestão: à medida em que os capítulos estiverem prontos, transforme-os em pdf e hospede num servidor para download. É superbacana ver o quanto as pessoas lêem seu trabalho.

Lucas Alsil disse...

boa dica

Edilaine disse...

Adorei seu texto,
acho q descreveu não só sua vida,
pois me identifiquiei mto com seu texto e acredito q mtos q lerem tbm vão se identificar c ele!!!
Parabéns!!

Vinicius Gabriel disse...

Ser carente, sensível a sentimentos faz parte cara.
Nem encana com isso.
Nem todo mundo é que nem os malvados da novela rs.
Normal.

Valeu por comentar no meu blog.
Abraço.