quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010 o poeta.





enquanto ela dorme , ele escreve no escuro. um escuro mais sombrio que o próprio futuro. o poeta não tem tempo, não vive no tempo. o poeta não tem alma , vive a dos outros. vive à procura da cura pro seu mal de não conseguir viver sem gritar o que sente. enquanto ela dorme, ele sente a dor de o vazio de estar sem ela. escuta uma música que a traz para perto dele em cada arcode profundo. e por estar sem ela, o poeta sofre durante as tardes, os dias e as noites. sofre e deixa o sofrimento sair pelas lágrimas que escorrem sem querer. lágrimas que ele jurou não derramar nunca mais. ela se foi ? eternamete ?ou será que valerá o ' isso também passa ' mais uma vez ? ou será que isso nunca existiu ?

enquanto ela sonha com um futuro ele planeja tudo como se fosse o dono da razão e do destino de todos e se pudesse controlar o tempo, a vontade, o espaço e a distância. ele decide não chorar mais e dormir. escrever bobagens não a trará de volta . o poeta sem inspiração é um poeta morto, vazio. um poeta sem alma. talvez ela tenha ido, talvez nunca tenha chegado. talvez.

ao som de : pink floyd - wish you were here

1 outras vozes:

Elizabhett Costa disse...

adoreei ! se dê... olha o meeu por favor!

http://semvoceeunaosounada.blogspot.com/