sexta-feira, 7 de agosto de 2009 O Verdadeiro Ínicio

bom, nunca escondi de ninguém, que sempre fui vulneravel em relação a sentimentos, só que dessa vez vai ser diferente. venho falar de um sentimento do qual faz, fez e fará ainda por muito tempo (infelizmente?) parte da minha vida. é um sentimento do qual eu nem sabia que poderia se tornar isso que é hoje, parte de mim, pedaço de mim. e tudo isso daqui começou por causa disso. disse várias vezes que eu fiz blog por causa de um amigo que tinha, mas não foi assim. foi por causa de um amor, que ninguém sabe que eu sinto. álias, que só ela sabe que eu sinto. eu cansei de gritar esse amor aqui, na maioria das vezes regado por ódio, tristeza, ou áté; para não ser injusto, de felicidade. aquela que me inspirou a criar esse rio de sangue, e esse rio de amor.

no ínicio, era assim. tudo bonito, tudo perfeito e como cansei de dizer aqui, me fazia um bem demais. não vou negar que no ínicio me fazia mal, me dava medo, mas mesmo assim eu gostava. gostava a ponto de nem acreditar que aquilo era verdade, que eu estava maluco e que um dia ia acabar. pois é, e acabou. ou até mesmo não. talvez é assim para não desgastar o nó que fizemos durante esse um ano e meio (quase). seria bom se me dissesse o que ainda acontece, e se ainda acontece tudo o que um dia fizemos e criamos juntos. será que hoje ainda é igual ?

certo de que as coisas mudam, isso é normal, mas quem nunca quis mudar o rumo de uma história acreditando que o final poderia ser outro, para adiar o final ou para simplesmente viver tudo outra vez ? o que importa é isso me fez ser o que sou hoje, e como uma música que eu não gostaria de citar aqui "... a cada promessa que você não cumprir (...) eu estarei te observando ... " porque eu já não sei mais pensar sem pensar no que você pensar. já não sei sentir sem saber o que você sente. porque mesmo longe, ainda te sinto em mim.

e foi por essa pessoa que eu criei isso daqui. lembro até hoje quando mostrei o blog a ela, e quando ela me disse que gostou. tentando arrancar dela os elogios que eu arranquei, forçando-a a ver a semelhança que existia entre nós, tentando a impressionar com tudo o que eu escrevia. foi pra ela que eu escrevi a maioria das coisas aqui. ela que me fez sentir tudo o que eu sentia de ruim e de bom. o meu vírus, o meu porque. as minhas dores, as minhas lágrimas, os meus sorrisos, as minhas risadas. as minhas poesias, as minhas músicas, as minhas revoltas. e hoje isso não tem mais sentido, pelo menos pra mim. não tem mais sentido fazer coisas que me lembram ela. não tem mais porque, ter algo que eu criei pensando nela. e então eu prefiro acabar logo, afinal é melhor terminar e aceitar o fim , do que insistir no que já acabou por sua própria culpa.

é, é o fim !
pra quem eu nunca vi, e sempre amei.

esse sim, ficou EXTREMAMENTE DEPRESSIVO, mas relaxem porque eu não sou emo, e não tenho tendencias suicidas

não tem nada a ver, mas eu escrevi ouvindo isso clique aqui.

3 outras vozes:

Lorrαne રodrιgues disse...

Nossa, eu acompanho o Riachos vermelhos desde os primeiros meses dele, e confeso que vou sentir falta, mas ha quem diga que o fim é um novo começo, e eu não vejo problema nenhum em recomeçar; lindo o texto, mexe com a gente... vou sentir falta disso!

juh s.e.p ϟ disse...

deu vontade de chorar :'(

e neem tenho muiito o que falar (ou ñ tenho o q falar), vse sabe melhor do que ninguém aki do que vse ta fazendo, então segue em frente, pq a vida é assim. (estarei lá seguindo HOH :B)
:*

Quer mudar? Comece por você! disse...

Oi!
Nossa vc abriu seu coração, heim!
Tenha um ótimo final de semana!
abraços