sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010 as noites do poeta.






as noites do peota agora são assim, conturbadas, cheias de silêncio na alma e bagunça de pensamentos. nem a calma do vazio do seu quarto, do escuro que ele tem e das músicas que ele gosta conseguem torna-las mais felizes, melhores e mais suportaveis.

as noites eram alegres, cheias de vida, de cerveja, de garoa, de música e temperatura boa, mas hoje já não mais, o poeta já não consegue, não tem forças e vontade. ela se foi e o deixou mais uma vez a beira da loucura, escrevendo asneiras no escuro enquanto ela vaga por não sei aonde. eu não sei, e ele talvez nunca saberá também.


TO BE CONTINUED !
ao som de: seu cuca - dez

2 outras vozes:

Elizabhett Costa disse...

ameei!

Kimura disse...

é d blogs assim que gosto d encontrar.
Desculpe a invasão e parabéns pelo blog.
Quando tiver um tmpinho da uma passada no meu de fic, espero que goste.
Abraço!

http://kimuratorredevidro.blogspot.com/